25mar
2015
0

450 anos de poesia em São Paulo e no Belém – Pós-modernismo – 09

Pós-modernismo prima pela liberdade total de expressão.

Poluição…caos…amor à vida.

Luzes acesas…madrugada estendida,

Grandes prédios, poucas árvores.

Agitos e badalações, a cidade não pára.

Ir ao parque…

Aos fins de semana só nos resta sonhar:

Aproveitar a natureza perdida

No meio da cidade moderna,

Escutar o cantar dos pássaros assustados

Voando junto aos aviões,

Sentar, viajar no tempo,

Imaginar…viver a paisagem conhecida das gravuras.

Voltar à vida…

Árvores com poucas folhas, muitos galhos.

Eis a nossa natureza!

Desejo de uma linda poesia:

As pessoas passam…as bicicletas passam…

Passam entre sujeiras e folhas…

Entre caos e conflitos,

Em sonhos e fantasias.

Todos celebram o amor à vida!

 

Sem Comentários

Responder

Click to access the login or register cheese