Nossa História

Tudo começou há trinta anos – a família foi presenteada com uma criança especial.

A tia quis retribuir o presente, preparando em seu primeiro aniversário doces diferentes: palhaços, coelhos, pinguins, tartarugas… Isso só aconteceu depois de muita pesquisa, de curiosas informações de amigas, conversas com as tias doceiras – lembranças da infância – paixão de família.

E como viver acrescenta, a pesquisa continuou. Só doces modelados não eram o bastante. Surgiu, então, o cenário em doce. Como professora de Literatura Infantil, sentia ser preciso mais. Era a presença da poesia na mesa de aniversário: Lá vem o trenzinho, cruzando o caminho…

De repente em outro aniversário – um novo desafio: – “ Tia, quero a festa do Aladim e a lâmpada maravilhosa.” Depois de muita pesquisa, cursos e programas culinários: pedido atendido.
Muitas histórias em doce aconteceram para afilhados, sobrinhos, primos, filhos de amigos… Com o nascimento da afilhada surgiram mais histórias… Até que o reencontro com a ex-aluna e amiga Ana Claudia, transformou busca, fantasia e muito imaginar em livros. A vontade de representar em doce o instante mágico do conto aliou-se ao gosto pela fotografia. Assim, a cena em doce, que vinha cada vez mais pensada, exercitada, burilada, agora estava fixada em fotos. E a fugacidade da cena, degustada, saboreada, devorada mesmo, a cada evento, agora era perenizada pela foto e organizada em livro, em linguagem visual, disponível à criança, para que leia as imagens, conte a sua história, brinque de autor.

O que pretendemos: que seja lida como uma linguagem de amor. Juntas, comprometidas com a qualidade crescente do que fazemos, compartilhamos com você nossas Doces Histórias.

“Tenha uma vida rica de vida. Faça do fogão, da caneta, seus instrumentos de criação. Leia, pinte, desenhe, escreva”.
Clarisse Lispector

Nosso Produto

Os contos, fábulas e lendas construídos com a doçura dos açúcares…com a magia do chocolate.
Beijinhos, suspiros e sonhos…

Nesse clima, em cenas fixadas em fotos, sucedem-se as sequências narrativas. Cada foco se faz para representar um movimento da história e, juntos, formarem o todo. Pelas imagens, a criança inicialmente é levada a observar os detalhes plásticos das páginas, interpretá-los, para depois construir, com a linguagem verbal que domina, sua versão da história. Realiza, assim, a reescrita do conto no próprio livro.

O que sonhamos?
Sonhamos, de verdade, é participar, como gente envolvida com Educação, na formação pela arte. Levar crianças, conosco, em voos da imaginação.