19fev
2019
0

Dinossauros na Pré-História

Eras Geológicas são períodos da história relacionados com as mudanças que ocorreram na geografia da Terra. São classificadas em: Era Primária ou Paleozoica (540 a 250 milhões de anos atrás); Era Secundária ou Mesozoica (250 a 65 milhões de anos atrás); e a Era Cenozoica ou Era Terciária e Quaternária (65 milhões de anos atrás até os dias de hoje).

A Era Secundária Mesozoica é dividida em três períodos: Triássico, Jurássico e Cretáceo.

O período Triássico localiza-se entre 250 e 205 milhões de anos atrás. A fauna era composta de muitos répteis, durante esse período surgiram os primeiros dinossauros que eram quadrúpedes e baixos. O período Jurássico entre 205 e 142 milhões de anos, conhecido como a Era dos Dinossauros. Nesse momento, houve elevação das águas dos oceanos avançando os continentes, propiciando o desenvolvimento da vegetação (florestas, coníferas, samambaias…), répteis, insetos, aves, anfíbios, várias espécies de dinossauros.

O período Cretáceo durou entre 146 milhões e 65 milhões de anos atrás, sendo o período de apogeu dos dinossauros. A flora e a fauna do planeta se desenvolveram ainda mais nesse  período apresentando maior variedade de espécies e também o aparecimento de flores. Foi nessa época que surgiu o primeiro mamífero.

Os dinossauros eram animais gigantescos que viviam na água, no ar e na terra. Os que viviam na água fazem parte do grupo dos plesiossauros; os que possuíam asas e viviam no ar eram chamados de pterossauros. Há dinossauros herbívoros e carnívoros. Esses animais enormes foram dizimados, segundo pesquisas, há 65 milhões de anos quando um meteoro de 10 a 15 quilômetros de diâmetro atingiu a Terra, exatamente em Iucatãn, no México.

Conhecemos os dinossauros pelos fósseis encontrados por paleontólogos e depois expostos em diversos museus do mundo. No Brasil, foram encontrados vários fósseis de alguns tipos de dinossauros.

Dinossauros

Dinossauros eram ovíparos, com pele escamosa e temperatura corporal variável. Há aproximadamente 700 espécies de dinossauros, dos quais se destacam os predadores carnívoros Tiranossauro e Dilofossauro e os herbívoros Diplodoco e Ultrassauro.

Tipos de dinossauros:

Terópodes: dinossauros bípedes considerados os maiores carnívoros do planeta.

Destacam-se: Megalossauro, Dilophossauro, Tiranossauro…

Tiranossauro (Tyrannosaurus – rei dos lagartos tiranos) era um enorme dinossauro carnívoro, certamente o mais assustador, que vivera no cretáceo superior da América do Norte cerca de 66 milhões de anos atrás. Tinha aproximadamente 14m de comprimento e 6m de altura e era dotado de poderosas mandíbulas, com dentes aguçados, de 18cm, numa cabeça que tinha 1,5m de comprimento.

Deinonico (Deinonychus – garra terrível), dinossauro carnívoro, pode chegar até 3,5m de comprimento. Viveu durante o período cretáceo, a cerca de 115 milhões de anos.

Alossauro (Allossaurus – lagarto diferente), carnívoro bípede que habitava a América do Norte no final do jurássico. Viveu 153 milhões de anos atrás.  Tinha aproximadamente 12m de comprimento, 1,5t de peso. Apresentava grandes dentes recurvos e serrilhados.

Dilofossauro (Dilophosaurus – lagarto de duas cristas) um carnívoro do jurássico, de esqueleto muito leve, dentes muito afiados. Sua principal característica era uma crista dupla, em V na cabeça. Viveu 173 milhões de anos atrás.

Espinossauro (Spinosaurus – lagarto espinho) era carnívoro e habitava o norte da África e a América do Sul no período cretáceo há 100 milhões de anos. Tinha cerca de 12m de comprimento e apresentava, ao longo do dorso, saliência vertebral sustentada por formações ósseas de até 3m de altura, na parte mediana, e gradativamente menor em relação à cabeça e à cauda, tudo revestido por couraça.

Velocirraptor (Velociraptor – ladrão veloz) apresentava cerca de 1,5m de comprimento, dotado de dentes e garras afiadas e que se locomovia velozmente. Viveram no cretáceo superior 75 milhões de anos atrás. Fósseis foram encontrados na Mongólia, Rússia e China. Estima-se que alcançava a velocidade de 64km.

Saurópodes: dinossauros quadrúpedes, os quais eram considerados um dos maiores animais da Terra. Eles possuíam um corpo avantajado com um pescoço e cauda longos e cabeça pequena. Destacam-se as famílias: Brachiosauridae, Diplodocidae e Titanosauridae

Braquiossauro (Brachiosaurus – lagarto braço), animal que media cerca de 24m, incluindo a cauda, e cujos membros anteriores eram muito longos. Habitava os pântanos da América do Norte e da África, no jurássico há 153 milhões de anos.

Diplódoco (Diplodocus – dupla alavanca), dinossauro saurísquio (quadril de lagarto), herbívoro, gigante, com cerca de 20m de comprimento e 25t de peso; cabeça pequena, pescoço longo e flexível, grande cauda terminando em chicote. Habitava, no jurássico superior nos E.U.A., nos charcos, pântanos, lagos e margens de rios. Viveu cerca de 153 milhões de anos atrás.

Ceratopsídeos (Ceratopsia): dinossauros quadrúpedes e herbívoros; esse grupo possuía protuberâncias na cabeça, ou seja, uma espécie de chifre. Das famílias destacam-se os Ceratopsidae e os Leptoceratopsidae.

Triceratope (Triceratops – cabeça com três chifres), dinossauro ornitísquio (quadril de pássaro),  que lembrava um rinoceronte com cerca de 9m de comprimento. Apresentava dois chifres sobre os olhos, um menor, entre as narinas, e carapaça óssea no dorso, junto à cabeça. Viveu no cretáceo superior há 66 milhões de anos. Fósseis dessa espécie foram encontrados na América do Norte.

Estegossauros (Stegosauria): dinossauros quadrúpedes e herbívoros de corpos gigantes e cabeças menores. Esse grupo possuía placas ósseas nas costas sendo os mais importantes gêneros: Estegossauro, Kentrossauro e Lexovissauro.

Estegossauro (Stegosaurus – lagarto telhado) era dinossauro ornitísquio, herbívoro, do jurássico superior da América do Norte há 153 milhões de anos. Podia atingir 4m e pesar até 3t; habitava as margens dos rios, lagos e charcos. Possuía uma couraça de placas ou de pontas ósseas, ou de ambas, dispostas verticalmente ao longa da coluna vertebral, e, na cauda, tinha dois pares de ferrões corniformes.

Anquilossauros (Ankilosauridae): dinossauros herbívoros que continham uma carapaça nas costas que servia de armadura. Além disso, a cauda deles era formada por espinhos, e na ponta possuía uma espécie de clava que os protegiam de diversos predadores. Destacam-se o Anquilossauro, Euoplocéfalo e Pinacossauro.

Anquilossauro ou Ancilossauros (Ankylosaurus – lagarto fusionado) surgiu no final do período cretáceo da América do Norte há 67 milhões de anos. Apresentava mais de 10m de comprimento, o corpo e os membros fortemente protegidos por placas ósseas e por grossas pontas corniformes, e a cauda longa podia balançar de um lado para o outro, com uma esfera na extremidade de 40cm de diâmetro. O crânio também era revestido de couraça de placas ósseas, com chifres cravados no topo.

Ornitópodes: grupo de dinossauros herbívoros chamados também de “dinossauro bico-de-pato”, uma vez que a boca era em formato de bico. Possuíam um sistema de mastigação bem desenvolvido e algumas espécies eram bípedes e outras quadrúpedes. Nessa classe merecem destaque o Anatossauro, Bactrossauro e Parassaurolofo.

Parassaurolofo (Parasaurolophus – lagarto com crista) era um dinossauro herbívoro que viveu na América do Norte e na Ásia durante o cretáceo superior, cerca de 76 milhões de anos atrás. Andavam tanto bípedes quanto quadrúpedes.

Do período jurássico ao cretáceo também viveram inúmeros répteis voadores, os pterossauros.

Pterossauros ou pterossáurios (Pteranodon – asa sem dente) eram répteis voadores que viveram há 85 milhões de anos. A asa apresentava 4m ou mais de envergadura.

Bibliografia

HARRIS, Nicholas. Os Dinossauros e outros animais pré-históricos – Série Conhecimento. 1ª ed. São Paulo: Rosari, 2015.

ANELLI, Luiz. Eduardo. O guia completo dos dinossauros do Brasil. 1ª ed. São Paulo: Editora Peirópolis, 2010.

ANELLI, Luiz. Eduardo. Dinos do Brasil. 1ª ed. São Paulo: Peirópolis, 2011.

 

Sem Comentários

Responder