08nov
2019
0

O encantado mundo dos “Contos de Fadas” Doces Histórias e seu poder em formar leitores e escritores.

O encantamento do Conto de Fadas, pelos valores simbólicos que provocam na mente, pode exercer uma função de autoconhecimento e sensibilização, algo que favorece a construção no processo alfabetizador. O Colégio Pleno, em Sorocaba interior de São Paulo, estimulou os seus alunos do 1º Ano A e B do Ensino Fundamental I da professora Norma, a serem leitores e escritores.

Tivemos como objetivo principal estimular a criança observar, verbalizar e criar universos mágicos, para que cada aluno tenha condições de abusar da imaginação, optamos pela história “João e Maria em Doce”. A ideia surgiu a partir de uma coleção de contos da autora Elisabete Ribeiro, que trata-se de um instrumento alfabetizador, que proporciona ludicidade à experiência ao ato de ler e escrever. O projeto proporcionou às crianças o contato com diferentes linguagens: A vivência em uma exposição interativa vinda de Portugal no “Museu mais doce do mundo” (SP), musical em um espetáculo na Sala São Paulo (SP) e muitas e muitas leituras, contações de histórias, vídeos e comparações.

“João e Maria em Doce” –

Além de promover a criatividade, o projeto buscou incentivar a leitura e a escrita espontânea das crianças, com intervenções para o avanço. Iniciamos o projeto com uma linda história clássica de João e Maria, onde priorizamos a contação da história e exploração das ilustrações que são magníficas, com páginas vazadas e as cores se modificando a cada cenário, ampliando o clima de mistério e convidando os alunos a embarcarem na aventura.

Tivemos a oportunidade única de interagir com um mundo todo em doces, na exposição no “Museu mais Doce do Mundo” mergulharam em uma piscina de marshamelows, sala do brigadeiros, do sorvetes, cookies … e muitas fantasias.

Com esses projeto foram cumpridos também os objetivos, ensinar, o aprender e o empregar a linguagem. Entendemos que o indivíduo se vale dos conhecimentos de enunciados anteriores para formular suas falas e redigir seus textos, acreditamos na fala como instrumento de comunicação, onde demonstra todo conhecimento adquirido, por meio, da consciência, intuição, criação, fantasia, desejo… o trabalho proporciona condições reais para que cada criança se envolva com o conto e, depois de ter lido e ouvido várias versões, crie sua própria história baseada nas ilustrações.

Mistério – aguçar a curiosidade

O mistério…os alunos saíram da sala de aula e encontram uma trilha de pães, e agora era preciso segui-las, mas e a bruxa será que estava por ali!? Ou seriam somente o João e Maria que tinham passado para brincar com eles!? Seguiram a trilha e encontram uma caixa, e agora, o que tem dentro? várias foram as hipóteses sugeridas por eles em uma roda, segurarem-na, chacoalharam-na, é pesada, é leve, tem doces, varinha da bruxa, dinossauros, carta do João e da Maria, moedas de ouro…

                     

Ao fazerem a mágica do “Bibbidi-Bobbidi-Boo” da fada da “Cinderela”, receberam então seus livros.

A Imaginação foi o motor propulsor do projeto todo, mas tivemos atividades de pesquisas sobre o gênero linguístico “Conto de Fadas”, vídeos que puderam servir como comparativos entre a história lida, registros de trechos da história, por meio, de escritas espontâneas e depois retomadas para reflexão ortográfica, desenhos de parte da história para somente depois acontecer a reescrita. O papel do adulto foi de escriba, deixávamos o texto “descansar” alguns dias e somente então fazíamos a correção, ajustes, substituições de palavras e finalmente quando todos os alunos concordavam que estava ótimo, então acontecia o registro nas páginas do livro.

Para encerrar o projeto fizemos uma roda de conversa com autora Elisabete Ribeiro e logo após as perguntas de cada um serem sanadas, receberam seu autógrafo nos próprios livros, em um lindo cenário onde os alunos sentiram-se totalmente à vontade na doce companhia da “bruxa”, protagonizada pela própria Elisabete, que instigou ainda mais a imaginação dos pequenos que sentiram-se lisonjeados com a história e seus personagens.

         

Manhã de autógrafos

Após vivenciarem o momento de autógrafo da autora, na manhã seguinte, cada aluno como astros e estrelas que são protagonizaram um momento único e imperdível que foi a amanhã de autógrafos dedicados às famílias com palavras doces e recheadas de afetividade.

E assim seguimos felizes…

Profª. Norma Oséas Crisp – 2019

Sem Comentários

Responder

Click to access the login or register cheese